12 de set de 2009

O Instituto de Altos Estudos em Segurança e Inteligência -- IAESI


Fontes das Imagens:


Caret periclo qui etiam cum est tutus cavet
(“Está mais seguro do perigo aquele que permanece em guarda, mesmo quando parece estar seguro”)

(Publiblius Syrus - Século I aC)

por George Felipe de Lima Dantas




Declaração de missão: O Diferencial do Instituto de Altos Estudos em Segurança e Inteligência (IAESI) da Pós-Graduação Unisaber




O IAESI nasce diferenciado de outros institutos e centros de estudos em segurança e inteligência previamente estabelecidos no país. Sua proposta não é ministrar conteúdos genéricos sobre inteligência por docentes ou mesmo praticantes da atividade de inteligência com origem em outras áreas que não a da atividade-fim dos operadores da segurança pública ou do ‘sistema de justiça criminal’. Aí estão necessariamente incluídos os guardas municipais, policiais de diferentes origens,promotores de justiça, membros de agências regulatórias e autoridades prisionais. Função do diferencial do IAESI, todos os membros do seu corpo docente possuem necessariamente o duplo atributo de serem acadêmicos e operadores, no passado ou no presente, do sistema de justiça criminal dopaís. O que se pretende com isso é desmistificar a atividade de inteligência em sua aplicação objetiva na segurança pública, tendo como foco o “case”, algo impossível de praticar no caso do teórico que conhece princípios, mas não as respectivas aplicações do que ensina.




Benjamin Bloom já apontava, em sua taxonomia hoje mais que cinqüentenária, que entre a compreensão e a análise há que passar necessariamente pela aplicação. A proposta do IAESI, portanto, está centrada na utilização de princípios milenares da atividade de inteligência, mas sem deixar de ter em conta a sua finalidade última, no caso da segurança pública, utilizando-a em prol da determinação da materialidade e autoria de crimes ou da possibilidade de antever sua ocorrência e realizar uma cada vez mais demandada prevenção. Seus objetos de estudo, como não poderiam deixar de ser, são os seguintes: (i) o crime; (ii) criminosos e; (iii) questões conexas.




Ainda que o método da atividade de inteligência tenha postulados milenares, as ciências, técnicas e tecnologias que lhe sucederam estão em constante evolução histórica. Entre elas são especialmente salientes na contemporaneidade, entre outra: (i) a criminologia ambiental; (ii) a estatística inferencial computadorizada; (iii) a tecnologia da informação; (iv) os sistemas de informação geográfica baseados em georeferenciamento; (v) a análisecriminal; (vi) a análise de vínculos e, mais modernamente ainda; (vii) a fusão da informação.




O IAESI, portanto, não está voltado para a atividade de inteligência em suas vertentes ‘de estado’, ‘militar’ ou ‘organizacional’. Ele é uma organização de altos estudos que se auto-impõe, desde a primeira hora, enquanto missão, a formação e o aprimoramento técnico-profissional dos ‘agentes de estado’ aos quais incumbe, direta ou indiretamente, a prevenção e repressão ao crime e à desordem.


O mote do IAESI materializa a capacidade de antecipação proporcionada pela inteligência em sua aplicação na segurança pública: “Caret periclo qui etiam cum est tutus cavet”. “Está mais seguro do perigo aquele que permanece em guarda, mesmo quando parece seguro” – Citação atribuída a Publilius Syrus (Nascido na Síria, trazido escravo para Roma no século I antes de Cristo).

Nenhum comentário: