6 de jan de 2011

Os instrumentos técnicos de recursos humanos para realização da Análise de Inteligência/Criminal (AC): tarefas e áreas temáticas de atuação


Fonte da imagem: gnaddeo.blogspot.com

Fonte de Conteúdo: Ficha Catalográfica: 341.59 -- D21 Dantas, George Felipe de Lima Análise criminal : livro didático / George Felipe de Lima Dantas ; design instrucional Marina Melhado Gomes da Silva ; [assistente acadêmico Michele Antunes Corrêa]. – Palhoça : UnisulVirtual, 2010. 139 p. : il. ; 28 cm. -- Inclui bibliografia. -- 1. Criminologia. I. Silva, Marina Melhado Gomes da. II. Corrêa, Michele Antunes. III. Título.

por George Felipe de Lima Dantas
em 6 de janeiro de 2011

Ao lidar com dados, informação e conhecimento, a AC depende dos operadores do sistema de gestão da Segurançpa Pública (SP)/Justiça Criminal (JC) para a sua consecução. Tanto as ciências de suporte da AC quanto suas respectivas técnicas e tecnologias são instrumentos de utilização pelo analista. Tal operador do sistema de gestão da SP/JC, devidamente instrumentado por ciências, técnicas e tecnologias, precisa desenvolver atividades específicas de análise, dentre elas:

i. identificar e aplicar/utilizar, nas atividades gerais de AC, modelos teóricos da Criminologia, que sejam explicativos do fenômeno criminal;

ii. operar equipamentos computacionais, incluindo unidades de processamento e seus periféricos, bem como os aplicativos (softwares) utilizados na AC;

iii. organizar séries históricas de dados (de diferentes eventuais tipos de corte temporal: diário, semanal, mensal, anual, etc.), tendo em vista a produção de estudos e estatísticas criminais sobre qualquer recorte temporal do legado de dados existente;

iv. introduzir e/ou extrair dados de bases de AC, ao realizar estudos de modelos explicativos do fenômeno criminal;

v. produzir estatísticas criminais sobre conjuntos de dados constantes de bases policiais institucionais ou não policiais (externas);

vi. interpretar estatísticas criminais;

vii. produzir documentos conclusivos de comunicação de estudos de AC (relatórios, boletins, etc.) com apelo à inteligência visual e qualidade estética;

viii. produzir tabelas, gráficos e mapas para ilustrar documentos conclusivos de comunicação de estudos de AC, indicando padrões, tendências e respectivas considerações metodológicas e estatísticas, valendo-se dos aplicativos (softwares) computacionais especializados;

ix. avaliar, corrigir e/ou atualizar os métodos e procedimentos institucionais de AC, em sua congruência com normas técnicas e institucionais, visando à conformidade técnico-metodológica.

Para ser proficiente nas atividades descritas, o analista deverá ter formação ou especialização técnica, que inclua a aprendizagem de conteúdos de diferentes áreas temáticas específicas, entre elas:

i. Inteligência de Segurança Pública (ISP), tendo como objetos de estudo terrorismo, corrupção, crime organizado, quadrilhas, narcotráfico, lavagem de dinheiro, pedofilia e tráfico de seres humanos, entre outros temas.

ii. Aplicações Estatísticas e Cartográficas, tendo como objetos de estudo indicadores de criminalidade, índices de delitos, taxas, métodos e técnicas de análise espaço-temporal de fenômenos criminais, incluindo previsões e estimativas.

iii. Análise de Dados, tendo como objetos de estudo a mineração de dados, determinação de padrões (incluindo modus operandi) e tendências do fenômeno do crime, bem como tipos e modalidades de ações tático-operacionais de controle.

iv. Análise de Inteligência, tendo como objetos de estudo conjuntos de dados protegidos de registros diversos, incluindo registros telefônicos, bancários, fiscais e de transações eletrônicas em geral, coletados sob autorização do poder judiciário, processados em proveito da construção de matrizes de análises de vínculos entre entidades constitutivas de redes/quadrilhas e apresentados em diagramas de apelo à inteligência visual.

v. Análise Criminal Investigativa de Suspeitos, tendo como objetos de estudo elementos constitutivos de locais de crime (inclusive “assinaturas” deixadas pelos autores dos crimes), perfis de homicidas, de delinquentes sexuais e de autores de outros crimes violentos.

vi. Análise Criminal Investigativa de Crimes Violentos, tendo como objetos de estudo os perfis (de comportamentos e de identificação individual) de homicidas, estupradores e de autores de outros crimes praticados com violência extrema (seriais), distúrbios comportamentais e psiquiátricos e diferenciais do comportamento delitivo de homens e mulheres.

vii. Métodos de Pesquisa Estatística de Previsões e Estimativas, tendo como objetos de estudo procedimentos de coleta de dados, técnicas de amostragem, tratamento estatístico de dados, teste de hipóteses e técnicas e padrões de confecção de relatórios de pesquisa.

viii. Métodos de Pesquisa Estatística e Amostragem, tendo como objetos de estudo os métodos de pesquisa quantitativa e o processo de constituição de amostras, tanto aleatórias quanto não randômicas.

Nenhum comentário: